4 dicas para compartilhar arquivos sem que o seu vizinho saiba

Compartilhar arquivos é como pendurar roupas no varal em um telhado: se não prestar atenção, alguém sempre vai descobrir aquela sua cueca que você nunca quis mostrar para os outros. Em outras palavras, você não pode confiar: mais dia, menos dia, alguém vai descobrir.

É cada vez mais comum compartilhar arquivos de todo tipo, por meio de serviços como DropBox, SkyDrive e Google Drive. Carregamos fotos no Imgur e Photobucket, subimos arquivos no Mega e no MediaFire e armazenamos músicas e afins no SoundCloud. E quando queremos compartilhar qualquer um desses arquivos com nossos amigos e contatos, criamos um link especial, privado mas aberto a todos que têm acesso a ele. Um link que só você conheceria, na teoria.

Tela do SkyDrive

Mas a segurança desses aplicativos tem falhas. Se o link é compartilhado numa rede aberta, é muito provável que seus dados acabem no Google, que vasculha a rede continuamente em busca de novos links. Se você envia um link privado a uma pessoa pouco cuidadosa, por exemplo, ela pode compartilhá-lo em e-mails ou fóruns, que por sua vez vão ser explorados pelo líder de buscas na Web. E uma vez no Google, pouco pode ser feito, a não ser ocultar os arquivos ou apagá-los.

Um documento armazenado no Dropbox acessível a partir do GoogleUm documento armazenado no Dropbox acessível a partir do Google (Fonte: Un Informático en el Lado del Mal)

Compartilhar arquivos é um ato que merece todo cuidado. Os seres humanos cometem erros e aplicativos também. Se você deseja compartilhar com uma segurança mínima garantida, siga estes conselhos básicos:

Conselho 1: revise periodicamente seus arquivos compartilhados

É sempre bom que você revise periodicamente o que está compartilhando. Por exemplo, o Google Drive tem filtros que permitem ver rapidamente os documentos públicos ou compartilhados por meio de um link.

Filtros do Google Drive

É possível modificar a privacidade desses arquivos com poucos cliques. Basta marcá-los e ir para o menu “Compartilhar”.

Privacidade de arquivos compartilhados no Google Drive

O SkyDrive tem uma função similar: se você clica no menu “Compartilhados”, verá todos os arquivos que estão sendo compartilhados publicamente ou via link privado. E no menu “Propriedades”, você pode determinar que os arquivos voltem a ser privados.

Propriedades do compartilhamento de arquivos no SkyDrive

E no Dropbox, há duas opções em que você pode revisar o que compartilha: a primeira com pastas e a segunda com links privados. E para “descompartilhar”, basta clicar no símbolo de cruz ao lado de cada arquivo.

Compartilhamento de arquivos no Dropbox

Conselho 2: elimine metadados e outras informações sensíveis

Há mais coisas embutidas num arquivo do que o nosso olho pode ver de relance. Mesmo após a remoção de dados pessoais, um documento do Word, por exemplo, contém informações que podem comprometer a privacidade do usuário.

Tela do Doc ScrubberO Doc Scrubber elimina metadados de documentos do Word

Essas informações levam o nome de “metadados” (dados inseridos em outros dados), e quase todos os arquivos os têm: fotos, vídeos, músicas… E para eliminá-los, você pode usar ferramentas como o MetaStripper ou o Doc Scrubber.

Conselho 3: configure alertas do Google em relação aos seus dados pessoais

Se você fica preocupado com a perspectiva de vazamento de informações, é importante ficar sabendo disso o quanto antes. Os alertas do Google mostram informações de resultados de busca sobre um determinado arquivo. Esses avisos podem ocorrer em tempo real ou após algumas horas. Se o seu arquivo é buscado em uma rede local pública, você será o primeiro a saber.

Google Alerts

O Google Alerts pode ser útil se você usar como identificador no documento um trecho do número de seu RG, conta corrente, seu nome completo ou número de telefone. Infelizmente, essa ferramenta do Google ainda não é capaz de de sinalizar a ocorrência de plágio ou duplicação de imagens.

Conselho 4: escolha o site mais apropriado para compartilhar os arquivos

Há uma infinidade de serviços que permitem compartilhar arquivos na internet, mas não é a mesma coisa subi-los no Mega e no Dropbox. As características de cada ferramenta determinam o que é melhor compartilhar em cada uma; algumas páginas para compartilhar arquivos de forma efêmera, por exemplo, podem fornecer códigos para que os documentos sejam apagados.

Mega“Arquivos grandes que não me importo se forem apagados? Ok, vou subi-los no Mega…”

Por exemplo, para distribuir um arquivo por um curto período de tempo e com prazo de validade, é recomendável o uso do Mega. Já para arquivos que podem ser editados de forma colaborativa, faz mais sentido usar o o SkyDrive ou o Google Drive. O importante é que você saiba a todo momento o que compartilha e onde.

Conselho 5: quer passar a um outro nível? Use senhas

Os conselhos acima vão te salvar na maioria dos casos de violações de dados relacionados a vazamentos. Mas você deve ter consciência de que compartilhar algo na internet expõe seus dados a qualquer tipo de imprevisto.

WinRar permite proteger arquivos com senhas

A máxima segurança passa pela encriptação de dados ou uma combinação de compressão e encriptação do documento. Se você faz um upload de um arquivo usando o RAR 5.0, com encriptação de 256 bits, sua privacidade ganha consideráveis camadas extras de proteção.

E o que você faz para garantir a privacidade dos seus arquivos?

Carregando comentários