O melhor sistema móvel para fotografar, desenhar ou compor músicas e vídeos

Músicos, cineastas, fotógrafos e designers: qual é o melhor sistema operacional móvel para vocês? Qual oferece as características essenciais para quem trabalha ou se deleita com a criatividade?

Os candidatos a competição são os tradicionais iOS, Android e Windows Phone. Como sempre, todos têm seus próprios pontos fortes e falhas. Mas neste caso, nós vamos considerar os elementos mais importantes para aqueles que fazem música, vídeo, fotos ou desenham.

Portanto, omitiremos questões gerais relacionadas aos três sistemas operacionais, com foco apenas nos aspectos mais importantes das três esferas criativas. Para cada um deles vamos tentar entender qual é o sistema operacional que melhor atende as necessidades e, eventualmente, estabelecer um vencedor absoluto para a categoria “criatividade”.

Fazer música: o iOS 7 não tem rival

Os aspectos mais importantes a considerar neste contexto são a qualidade do sistema sonoro do sistema operacional, a capacidade do celular em gerenciar o fluxo de som de entrada com uma latência aceitável, a estabilidade e integração dos aplicativos entre eles e, finalmente, a qualidade do microfone embutido e do software de gravação.

Neste último critério, a Nokia patenteou uma tecnologia chamada Nokia Rich Recording, que pode capturar todas as frequências audíveis ao ouvido humano (de 20 Hz a 20 KHz) e lidar com níveis de pressão sonora altos (107 dB).

Nova tecnologia da Nokia captura todas as frequências audíveis por um humano

O diafragma do microfone é simples, mas tem dois pré-amplificadores internos com sensibilidade diferente, que intervêm alternadamente, dependendo da pressão sonora, garantindo, assim, a ausência de distorção.

Os celulares que possuem esta tecnologia (como os Lumia), executados no Windows Phone, são provavelmente os melhores em termos de captura de áudio, graças ao software de gravação, que processa o sinal em 32 bits, preservando muito bem a gama dinâmica. Ter esse tipo de tecnologia no seu bolso é conveniente, mas há também outras considerações a fazer.

A primeira é que aqueles que decidem usar o smartphone ou tablet para gravar música tendem a usar uma interface de áudio externa e microfones dinâmicos ou com um condensador padrão.

Um microfone embutido então, porém bom, vai ter um uso limitado para um músico, que poderá gravar seus ensaios ou mesmo uma demonstração ao vivo no estúdio, mas não pode fazer muito mais. Dito isto, o que terá maior importância será a qualidade e quantidade de aplicativos disponíveis para produzir música, começando com o sequenciador, o mais exigente em termos de recursos.

E neste ponto de vista, o iOS é praticamente imbatível. O iOS 7 oferece um sistema sonoro de baixa latência que nem Android ou Windows Phone possuem, mesmo se considerarmos os modelos mais avançados.

Além disso, graças ao Audio Unit Framework, é possível a comunicação entre apps diferentes (ambos os comandos, MIDI e os fluxos de áudio). Até o iOS 6 esse recurso não estava integrado no sistema operacional, mas ainda havia um grande aplicativo chamado Audiobus que servia como uma ponte entre os aplicativos de música de forma muito eficiente e com uma interface clara e compreensível.

Se considerarmos os aplicativos disponíveis, o iTunes Store é uma mina de ouro. Os sequenciadores (GarageBandMusic StudioBeatMaker 2 principalmente), os sintetizadores (Sunrizer synthAnimoog), os samplers (SampleWizSampleTank) e os emuladores de amplificadores e efeitos (como AmplitubeAmpKit+ ) são apenas o começo.

Seleção de aplicativos musicais no iPad

E não é por acaso que os produtores de hardware profissional de música (como o Apogee) produzem placas de som e ferramentas específicas para iPad e iPhone, e não para outros celulares e sistemas operacionais diferentes. Em termos de desempenho, os produtos da Apple estão alguns degraus acima dos concorrentes.

É claro que há também uma explicação prática que o justifique. Embora o Android e o Windows Phone sejam executados em celulares de características físicas e qualidade de construção variáveis (pense na quantidade de modelos diferentes do Android), o iOS roda em dispositivos específicos de muita qualidade.

Isto facilita a vida daqueles que criam hardware ou software para o ecossistema da Apple porque eles sabem quais características levar em conta durante a concepção dos projetos. Ao mesmo tempo, os programadores rejeitam aqueles aparelhos mais segmentados (de alguma forma são mais “imprevisíveis”) do Google e da Microsoft.

Quanto aos tablets, é preciso fazer um esclarecimento. Aqueles da Microsoft não rodam Windows Phone, o sistema é o “velho” Windows 8. Por isso não podem ser levados em consideração em nosso artigo, pois são dispositivos que se enquadram na categoria de verdadeiros computadores, e não de celulares “puros”.

Por estas razões, a preferência para quem quer usar seu smartphone ou tablet para fazer a música será o iOS 7: mais poderoso, mais confiável e mais rico em aplicativos e acessórios em comparação com a concorrência.

Fotos e vídeo: iOS e o Windows Phone 7 empatam

Nesta categoria, a competição é muito mais aberta, porque tanto o iOS , quanto o Android ou o Windows Phone, e os dispositivos onde são executados, têm alguns truques na manga. Mas também temos que considerar uma premissa importante.

Quando se trata de fotografia, a qualidade do hardware faz a diferença mais que em outros setores. Há muitos exemplos de smartphones com câmeras de tanta qualidade que chega a ser o elemento determinante para a escolha do usuário.

Um exemplo é o Sony Xperia Z1 (Android), com a sua câmera de 21 megapixels e uma resolução de tela de 1080×1920. Outro é o HTC One M8 (Android), com duas câmeras frontais, uma dos quais com um brilho de f/2,0. O Nokia Lumia 1520 (Windows Phone) possui lentes Carl Zeiss, resolução de 20 megapixels e um framerate de vídeo de 30 fps em 1080p.

O iPhone 5S, por sua vez, tem uma boa qualidade óptica, uma resolução de 8 MP, doble flash e capacidade de gravação de vídeo 1080p a 30 fps ou 720p a 120 fps. A guerra do hardware, então, é mais que aberta, mas neste artigo vamos nos concentrar principalmente nos três sistemas operacionais e nos aplicativos disponíveis para cada um. Os aplicativos de fotos incluídos por padrão nos sistemas operacionais variam de acordo com os dispositivos.

Em geral, eles são muito completos. O aplicativo Câmara dos Samsung que rodam Android está repleto de funcionalidades, filtros e configurações. Mais completo ainda é o Nokia Camera (que nos Nokia Lumia substitui o app padrão do Windows Phone, que é o Microsoft Camera).

Aplicativo Nokia Camera em ação

O aplicativo oferece opções que quase nenhum “concorrente” apresenta, entre as quais o foco manual, o balanço de branco e a sensibilidade do sensor (ISO). Você pode integrar os outros apps de fotos que oferece a Nokia, como o Nokia Smart Cam (que tira 10 fotos em rápida sucessão, para depois poder escolher a melhor) e o Refocus, que permite tirar e depois escolher qual parte da imagem colocar em foco.

O app da câmera do iPhone não possui tantos recursos, mas ainda é muito respeitável. Permite, entre outras coisas, gravar vídeo em 120 frames por segundo, e criar belos efeitos slow-motion a ser incluídos nos filmes. Enquanto você grava o vídeo, também pode tirar fotos com o botão branco no canto inferior esquerdo. O modo burst permite fotografar 10 imagens por segundo.

Câmera do iOS ainda contém recursos importantes

Há também uma função de foto panorâmica a 30 fps, que ajusta automaticamente e em tempo real a exposição. A quantidade de aplicativos para tirar fotos e gravar vídeo presentes no iTunes é estratosférica, e o mesmo vale para o Play Store.

Alguns são indispensáveis para o fotógrafos (ambos Android e iPhone), e as analisamos neste artigo, enquanto apresentamos os melhores aplicativos para o iPhone para fazer curtas-metragens neste estudo.

Para o Windows Phone, há alguns aplicativos de qualidade inquestionável, como o ProShotCamera360HDR Photo Camera e Creative Camera. Perante isto, decretar qual sistema operacional fornece mais que os outros ferramentas para fotos e vídeos não é simples.

Tendo em conta todos os elementos que mencionamos, optamos por um empate entre iOS, Windows Phone e Android. Acrescente-se que, se a qualidade da foto está no topo de suas prioridades, então o Lumia 1520 é provavelmente a melhor escolha para você, mas se quiser um arsenal de app para fotos e vídeos que se encaixam perfeitamente, o iPhone 5S com iOS 7 pode ser a melhor opção.

Desenho e pintura: iOS ganha indiscutivelmente

No caso dos gráficos, deve-se afirmar que a tela do smartphone é insuficiente para a maioria dos aplicativos e neste critério nós usaremos os tablets. Isso reduz os concorrentes a dois, como vimos, os tablets do Windows não executam o Windows Phone, mas o Windows 8.

Permanecem no jogo o iOS com o iPad e o Android com os tablets top de gama. A qualidade e os componentes daqueles de baixo custo, torna-os inadequados para as tarefas gráficas de uma certa complexidade. As versões mais recentes de ambos os sistemas operacionais lidam com os gráficos sem problemas, e podem ser consideradas de mesmo nível.

Do ponto de vista dos recursos de hardware, apesar de muitos tablets Android ter processadores mais rápidos que os dispositivos móveis da Apple, em termos de GPU as posições são invertidas, mantendo também neste ponto de vista os dois sistemas em um nivel semelhante.

Para criar esboços e rascunhos, entre as muitas opções que o Play Store oferece, há quatro da mais alta qualidade: Paperless, Sketch’emSketchBook ProArtFlow. Todos proporcionam aos usuários uma grande quantidade de canetas, lápis e pincéis virtuais para pintar e desenhar.

Para o iPad, a quantidade de apps de nível profissional para designer parece superior. Entre os mais convincentes, Quark DesignPad, Paper by FiftyThree, Adobe Ideas e iDraw.

Desenho de uma árvore feito no PaperUma árvore desenhada no Paper para iPad

Embora nesta categoria de aplicativos já existam excelentes títulos, quem trabalha com animação digital ainda prefere o computador tradicional que um tablet ou smartphone por serem um pouco limitado. Qual é então o vencedor? Considerando a variedade e qualidade da resposta nas telas sensíveis ao toque, que no caso do iPad parece um pouco superior, achamos que o iOS tem uma ligeira predominância.

Apple, vitaminas para a criatividade

Resumindo, temos um vencedor: o melhor sistema operacional para os criativos é o iOS. A superioridade, como vimos, não é esmagadora. Os sistemas operacionais Android e Windows Phone são bons e, em geral, os três concorrentes têm mais coisas em comum que diferenças.

O que nos faz favorecer o sistema operacional da Apple é a excelente mídia obtida se considerarmos três elementos essenciais: a confiabilidade do sistema operacional ao lidar com tarefas complexas, como edição de vídeo, a boa qualidade da câmera e as ferramentas para gerenciá-la e, enfim, a clara superioridade sobre os concorrentes quando se trata de produção musical.

O que você achou da nossa escolha?

[Artigo original em italiano]

Leia também:

Carregando comentários