Eleições 2014: como não espalhar boatos falsos na internet

Em época de eleição, todo o cuidado é pouco nas redes sociais. Se em tempos normais as correntes falsas e boatos já abundam na internet, agora é que a coisa costuma pegar fogo. De estatísticas falsas a histórias completamente mentirosas, é importante dobrar a atenção antes de compartilhar um novo “escândalo” de um candidato no Facebook ou WhatsApp.

A história não é nova. A polemica página do Facebook TV Revolta já foi desmascarada espalhando notícias falsas, mas continua bastante ativa. Até mesmo a Folha de S.Paulo já “se enganou” e acabou publicando uma ficha falsa da Dilma, recebida por email. Com as eleições em pauta, já apareceram teorias de conspiração da morte do candidato Eduardo Campos, entre outros boatos.

6 notícias falsas publicadas pela TV revoltaA TV Revolta publicou várias notícias falsas no Facebook

Descobrir se alguma coisa é verdade ou mentira pode ser um pouco difícil na era da internet, em que mensagens (verdadeiras ou não) se propagam em uma velocidade incrível. Mas existem algumas práticas que ajudam a identificar essas postagens e e-mails mal intencionados. Veja nossas dicas básicas para você identificar estes boatos da internet e não dar bola fora:

1. Pedir desesperadamente para compartilhar

Quase todos os boatos da internet pedem para você repassar a mensagem aos seus contatos antes que ela seja apagada pelo Facebook, YouTube, Twitter, etc. Não o faça.

Boato falso sobre Dilma querendo acabar com escolas militaresExemplo de boato falso pedindo para compartilhar a mensagem o quanto antes

2. Erros gramaticais / escrever tudo em maiúsculas

A lógica é simples: se o autor do texto cometeu erros de português e de digitação, é bem provável que a verificação dos fatos dele não é das melhores. Outra prática comum é mandar os textos com o Caps Lock ligado para dar a impressão de que alguma coisa é urgente e deve ser divulgada o quanto antes:

E-mail com notícias falsas sobre novas leis contra igrejas evangélicasE-mail escrito com o CapsLock ligado sobre notícia falsa das leis contra igrejas evangélicas

Se você achar que o texto está muito mal escrito, a provabilidade que seja falso é grande.

3. Pesquisa na internet

O boato cita as fontes com dados completos? Nomes, sobrenomes, local e data do ocorrido? Cita notícias sobre o fato com links para as reportagens? Na era da comunicação, não custa nada perder um minuto para verificar uma informação antes de postar no Facebook (assim você também evita aquele amigo chato comentando que você postou uma mentira). Então, deixe a preguiça de lado e faça uma pesquisa rápida no Google ou no Bing.

O boato dos "Gatos Bonsai" é um boato que ficou famosoO boato dos “Gatos Bonsai” é uma história que ficou conhecida na internet

Se os resultados da pesquisa apontarem apenas para blogs que reproduzem a mesma mensagem, é bem provável que seja mesmo um boato. Se não houver nenhum jornal grande ou site de notícias conhecido comentando o fato, é melhor desconfiar.

4. Sites especializados em boatos

Existem sites que se dedicam a desmentir boatos que circulam na internet. O meu preferido é o Boatos.org, que foi criado pelo jornalista Edgard Matsuki. Mas o Boatos.org não é o único site na missão de acabar com a mentira na internet. Confira também os sites E-Farsas.com, QuatroCantos.com e até mesmo a página do Facebook Boatos na Rede.

Boatos falsos sobre o Aecio Neves no site E-Farsas.comBoatos falsos sobre o Aécio Neves desmentidos no site E-Farsas.com

5. Verificar as redes sociais dos candidatos

Frequentemente, as redes sociais são as mais rápidas para espalhar um boato. E para desmenti-lo. Muitas vezes o candidato responde diretamente na rede social onde mensagem apareceu, então vale a pena dar uma verificadinha. Aqui estão as páginas oficiais do Facebook e Twitter dos três primeiros candidatos, que são os que costumam ter o maior número de boatos na rede:

Twiter da Dilma Roussef

Facebook da Dilma Roussef

Twiter da Marina Silva

Facebook da Marina Silva

Twitter do Aécio Neves

Facebook do Aécio Neves

Seguindo estes pequenos passos, você será capaz de identificar a maioria dos boatos e notícias falsas que chegarem na sua caixa de entrada. Não espalhe coisas falsas nas redes sociais, mesmo que seja do candidato que você não gosta. Não custa nada e, afinal, é melhor do que queimar o filme postando mentiras no Facebook, principalmente em época de eleições…

Falando em eleições, você já sabe em quem votar? Nós podemos ajudar você.

Carregando comentários