7 conselhos para ser um bom estudante digital

Usar a tecnologia a favor dos estudos

Esqueça isso de copiar e colar: para ser um bom estudante online, você precisa ir além. Aqui você encontra sete conselhos que o ajudarão a entrar nas salas de aula do século XXI da forma mais tranquila e segura possível.

Atualmente, ter uma enciclopédia não garante boas notas. Os professores estão cada vez mais conectados e exigem mais habilidades técnicas dos alunos.

Por isso, usar apps é só o primeiro passo para o sucesso acadêmico. Os conselhos que você vai ler a seguir são boas práticas que o ajudarão a evitar surpresas desagradáveis nos estudos.

Nem pense em copiar e colar

Copiar conteúdo de um site para colar em seus trabalhos é um caminho direto rumo ao desastre acadêmico e, claro, um ato reprovável, fácil de detectar. Muitas instituições de ensino médio e universitárias contam com aplicativos que detectam plágio interno e externo de documentos (por exemplo, o Viper). Seja inteligente: diversifique suas fontes de informação, adapte você mesmo seus textos e cite as fontes utilizadas.

Plagium detecta o ctrl c ctrl v

Com buscadores como o Plagium, detectar plágios é incrivelmente fácil (fonte)

Use materiais com licença livre

No futuro, quando começar a trabalhar, o uso de fotografias, músicas ou vídeos protegidos por direitos autorais pode colocar você em sérios apuros. Comece desde já a usar materiais livres de direitos autorais ou com licenças de uso permitido, como a famosa Creative Commons. Você pode procurar canções gratuitas no Jamendo e Soundcloud, fotos no Flickr ou no FreeImages e vídeos no Vimeo. Inclusive, pode encontrar apresentações livres no Slideshare.

No Vimeo, existem milhares de vídeos com licenças que permitem a redistribuição

Reconheça o trabalho dos outros

Quando escrever um trabalho ou resolver algum problema, cite o site e os autores aos quais você recorreu. Ao reconhecer o esforço alheio, estará demonstrando humildade e honestidade intelectual. A atribuição (ou crédito) é um dos pilares da internet, permitindo que as pessoas compartilhem suas obras sem sentir que os demais as estão usurpando. Para que a organização das referências bibliográficas fique mais fácil, use gerenciadores como Mendeley ou Zotero.

Mendeley é um fantástico gerenciador de bibliografias – e é grátis (fonte)

Trabalhe em equipe com os apps adequados

Se trabalhar em equipe parece algo difícil de pôr em prática, não é apenas pela falta de sociabilidade de alguns membros do grupo, mas também pelo tipo de ferramentas usadas para coordenar o trabalho. Recursos como Dropbox e Google Drive são imprescindíveis. Recomendo também que você chats privados como os proporcionados pelo Slack e pelo Hipchat. A vantagem? São persistentes: não são encerrados quando todos deixam o chat, e assim nem os links nem os comentários se perdem.

Slack é um chat persistente: ao abandoná-lo, o texto permanece no servidor (fonte)

Salve arquivos em formatos acessíveis

Ao criar documentos, certifique-se de que está salvando as informações em um formato fácil de abrir. Se enviar uma apresentação feita com o PowerPoint 2013 a um professor que só tem o PowerPoint 97, ele vai ter problemas para avaliar o material. Escolha formatos universais, na medido do possível, e se quiser preservar o design, salve seus documentos em PDF. Na dúvida, uma boa opção é enviar os mesmos documentos em diferentes formatos.

As últimas versões do Word permitem salvar diretamente em formato PDF

Sempre faça cópias de segurança

Frequentemente escutamos histórias de terror do tipo “o computador estragou com minha tese” ou “já não posso abrir meu trabalho que está no USB”. Para evitar dramas semelhantes, salve pelo menos uma cópia de segurança de seus documentos importantes. Com um sincronizador como o FreeFileSync, você pode copiar o mesmo arquivo em uma memória externa e na pasta correspondente do Dropbox sem precisar abrir diferentes janelas e arrastar os arquivos um por um.

Salve seus arquivos em uma pasta do Google Drive para que se sincronizem com a nuvem

Proteja seus perfis em redes sociais de espiões e ladrões

As redes sociais são frequentemente uma extensão da sala de aula. Tudo o que você publicar no seu Facebook, por exemplo, pode ser lido pelos seus professores caso não configure bem a privacidade da sua conta. Por outro lado, convém denunciar comportamentos agressivos e qualquer perseguição online contra você ou colegas. Finalmente, pensando em seu futuro profissional, cuide da sua reputação virtual da mesma forma que faz com sua reputação “real”.

O Facebook permite informar sobre a conduta inapropriada de qualquer usuário

O professor também deve mostrar interesse

Seguir os conselhos expostos acima é recomendável em qualquer situação. mas seu impacto será limitado se os professores não começarem a levar a sério as novas tecnologias. É dever do professor especificar as regras do jogo: desde os formatos de arquivos aceitáveis até os aplicativos que devem ser usados para enviar os trabalhos ou baixar materiais, passando por penalizações por plágios de textos e a entrega de tarefas mal apresentadas.

Tem algum conselho para ser um bom estudante digital?

[Artigo original em espanhol]

Carregando comentários