Civilization: Beyond Earth, o clássico da estratégia volta em plena forma

Civilization: Beyond Earth é a versão mais recente da franquia sobre construção de grandes civilizações. O tema, desta vez, está centrado numa sociedade… além da terra. Uma coisa nós já damos como certa: a nova ambientação e melhorias da jogabilidade desafiarão todos os apaixonados pela estratégia por turnos.

Um de nossos enviados especiais à E3 2014 deste ano, Raúl Pérez, experimentou o game em primeira mão. Aqui, nós oferecemos as impressões dele sobre o título da Firaxis. Afinal, Civilization: Beyond Earth tem potencial para ser um jogaço?

Civilization puro… no espaço

A saga Civilization regressa uma vez mais à sua essência, com um jogo de estratégia por turnos complexo e completo. Assim, se você jogou Civilization V, verá que, nesta variação, a Firaxis decidiu seguir este rastro clássico.

No Civilization: Beyond Earth, a mecânica continua sendo conquistar, fundar cidades, construir, treinar unidades e voltar a conquistar para ampliar domínios, tudo isso com o já consagrado sistema de jogo com tabuleiros hexagonais.

Mas ser puristas não significa ter de ser fiel à história mundial. A novidade de Beyond Earth está ambientado em um mundo de ficção-científica, no qual os territórios a explorar são planetas alienígenas.

Civilization: Beyond Earth leva jogador em planetas alienígenas

A importância das decisões

Civilization: Beyond Earth terá um grau de complexidade realmente digno de elogio porque dificilmente haverá duas partidas iguais. Isso se deve à trabalhada inteligência artificial do título, que fará as facções evoluírem de muitas formas distintas segundo as variáveis que você escolher, como o destino no qual criarão suas colônias.

Além disso, o progresso tecnológico tampouco será linear. As civilizações avançarão de uma ou outra forma segundo suas ações, fazendo o desenvolvimento histórico de suas cidades mudar bastante. Assim, aquilo de que “as decisões afetam” (algo que se diz em voz ativa e passiva sobre muitos jogos) será algo completamente certo em Civilization: Beyond Earth.

Decisões em Civilization influenciarão o progresso da história

Pureza, Supremacia ou Harmonia

Estas decisões terão a ver com a maneira de atuar. Civilization: Beyond Earth contará com três maneiras de conquistar, de acordo com ações e obsessão: Pureza, Supremacia ou Harmonia. Cada uma destas maneiras faz o povoado avançar de uma forma específica.

Assim, Pureza engrandece as glórias do passado, idealizando a história da humanidade e tratando a adoração dos símbolos de forma especial. Líderes puros são vistos como seres autênticos de personalidades inspiradoras.

Se você optar pelo caminho da Supremacia, ao contrário, terá de manter um olho no futuro. Deve destinar grande parte de seus recursos a melhorias tecnológicas e esperar que sejam as chaves do seu sucesso.

Por último, Harmonia é o caminho para aqueles que preferem levar em consideração as civilizações que habitam os planetas antes da sua conquista. Os que usem este sistema criarão civilizações nas quais a mestiçagem será a principal razão de ser.

De acordo com sua opção de caminho, será possível realizar alianças com umas ou outras civilizações mais afins aos seus princípios. Amigo de toda a galáxia ou terror das facções rivais? Você decide!

Pureza, Supremacia e Harmonia: o que você escolherá?

Vantagens de viajar para além da Terra

Por se tratar de um jogo galáctico, Civilization: Beyond Earth conta com várias dimensões jogáveis que são novas na franquia. A mais importante delas é a camada estratégica orbital.

No título, além de se preocupar com o que acontece no céu e na terra, será possível criar satélites que funcionarão boas armas defensivas.

Outra melhoria com relação ao Civilization V é a parte diplomática. Esta era uma das características mais frustrantes para os fãs do jogo, já que era mais arbitrária do que realista. Uma verdadeira dor de cabeça para quem preferia as palavras às armas.

Mas a Firaxis garante que o aspecto diplomático ficará, por fim, ligado a um grande salto em Beyond Earth. Isso se deverá, em parte, à liberdade proporcionada pelo fato de não estar baseado em fatos reais. Ao criar líderes rivais, alienígenas sem limites e tabus, as opções no âmbito diplomático serão mais variadas.

Firaxis promete desenvolver o aspecto diplomático do título

Entre a tradição e a modernidade

Civilization: Beyond Earth não trai as bases do gênero de estratégia por turnos e por isso enche-se de melhorias nunca vistas em um CIV.

Temos muitas esperanças com relação a este título, e isso porque, atrás de seu desenvolvimento, há uma companhia experiente, a Firaxis, que criou um dos melhores jogos de estratégia por turnos dos últimos anos: o XCOM Enemy Unknown.

Agora temos de esperar até setembro de 2014 para ver (ou não) nossas expectativas cumpridas.

O que você espera do novo Civilization?

[Artigo original em espanhol]

Leia também:

Artigo escrito em colaboração com Raúl Pérez.

Carregando comentários