Instagram, um aplicativo de fotografia que virou grife

A chegada do Instagram ao Android gerou polêmica. O que muita gente chamou de “orkutização” do aplicativo, referindo-se à sua popularização, revelou a confusão entre a exclusividade que os usuários de dispositivos da Apple tinham sobre o programa e o seu potencial de mercado – que, ao final, acabou prevalecendo.

Tanto que o Facebook acaba de anunciar a compra do Instagram por US$ 1 bilhão, mais do que custaria atualmente o tradicional jornal New York Times, avaliado em cerca de US$ 950 milhões, segundo o site Insider.

No caso do Instagram – aplicativo de compartilhamento e edição de fotos com rede social própria – o mercado de usuários Android representa 237,7 milhões de smartphones. Uma fatia importante que não podia ficar de fora.

Instagram virou etiqueta

O Instragram foi realmente inovador ao ser lançado, em outubro de 2010. Na época, o app era o único que permitia tirar fotos, modificá-las com filtros e compartilhá-las em uma rede social exclusiva, além de outras mais famosas como o Facebook.

Com o tempo, o Instagram incorporou recursos como a busca por hashtags, novos filtros e a compatibilidade com fotos em alta resolução. Tudo isso garantiu ao programa o prêmio de App do Ano para iPhone em 2011, concedido pela Apple, e o fez crescer em ritmo acelerado.

O tom de novidade transformou o Instagram em um verdadeiro sucesso. Hoje o aplicativo tem mais de 30 milhões de usuários, hospeda 1 bilhão de fotos e recebe cerca de 5 milhões de uploads por dia. E esses números só tendem a aumentar com a versão para Android: bastaram 24 horas no ar para que houvesse cerca de 1 milhão de downloads na nova plataforma.

Sem grandes diferenciais

Desde que o Instagram surgiu, houve tempo para a criação de apps parecidos e até melhores.

O Molome é um bom exemplo. Funciona de forma semelhante, tem mais filtros e ainda conta com um sistema de classificação de usuários para premiar simbolicamente quem o utiliza bastante. O Roidizer, além dos filtros, dá às fotos uma cara de retrato de Polaroid, a clássica câmera instantânea.

A única vantagem clara do Instagram é poder visualizar sem restrições todas as fotos de amigos que usam o app no iPhone ou no iPod touch. Mas isso é dispensável, já que eles também podem usar outras redes sociais para dar mais visibilidade ao material.

Faça sua escolha

O Instagram foi pioneiro no setor e proporciona uma excelente experiência de uso. Mas já existem diversas alternativas no mercado, com propostas até mais criativas, para achar que só o Instagram vale a pena. O fim da exclusividade tem mais a ver com uma estratégia de mercado do que com um privilégio específico do público da Apple.

Vangloriar o Instagram e lamentar a ampliação do uso do app é desconhecer a oferta de softwares que existe hoje no mercado. Que, para nossa alegria!, se alimenta da diversidade!

Carregando comentários