Testamos a Beta do novo PES 2014

Falta pouco mais de um mês para o lançamento do PES 2014, um dos gigantes dos games de futebol. Daniel e Alessandro, os nossos jogadores de futebol (de videogame, claro:-P) mais experientes, pisaram no gramado virtual e provaram a nova versão do PES.

Gráficos e áudio


Alessandro – Fluidity, o novo motor gráfico do jogo é excelente e consegue primeiros planos impressionantes dos personagens, que cada vez estão mais parecidos com os jogadores reais. Além dos jogadores, parece que outros elementos – como a torcida ou os fotógrafos atrás do gol – estão muito mais bem cuidados do que em edições anteriores do jogo.

Para mim, o ponto mais impressionante do PES 2014 é o áudio. O público reage ao que acontece no gramado e grita, canta, anima ou vaia de acordo com o que rola na partida. Os efeito sonoros ajudam a criar a atmosfera perfeita. Aumente o volume e sinta-se num estádio real!


Daniel – Há pouco a dizer dos gráficos do PES 2014. As melhoras no realismo do público são evidentes e a qualidade é altíssima, superior à do eterno rival, o FIFA.

Buscando pelo em ovo: a imitação dos jogadores de futebol é muito boa, mas todos têm alguma coisa bizarra nos olhos. Só a pupila está definida e isso tira um pouco do realismo.

As transições do jogo após uma falta também não parecem estar totalmente bem resolvidas, mas a versão que testamos ainda não é a definitiva.

Na minha opinião, os efeitos sonoros do público durante o jogo são repetitivos e artificiais. No teste, jogando em casa e tomando de quatro a zero, o público vaiou quando marquei o meu primeiro gol… Isso aconteceria na vida real?

Física e animações


Daniel – A mudança no motor de física no PES 2014 em relação ao Pro Evolution Soccer 2013 é comparável à implantação do Impact Engine no FIFA 12. Os choques estão muito mais parecidos aos que vemos em um jogo do mundo real.

Outra novidade, muito esperada, é a nova física da bola, que agora é mais evidente quando os jogadores correm com a pelota dominada. Desapareceu o efeito de “bola pesada” com um comportamento estranho e que deslizava de forma pouco realista. Agora ela já não fica grudada nos pés do jogador e tem um comportamento muito mais natural.

As animações dos movimentos dos atletas são mais realistas que nunca. As mudanças bruscas de direção desapareceram e deram lugar a movimentos suaves e harmoniosos: o que se vê em campo é cada vez mais parecido ao que vemos em um estádio de futebol.

Alessandro – Concordo, mas com algumas ressalvas. É verdade que a física e as animações melhoraram bastante com respeito ao PES 2013 mas, às vezes, a bola para depois de um choque entre dois jogadores. Não me convence…

Alguns tombos são espetaculares, mas pouco realistas. É um pouco o que acontecia na primeira versão do Impact Engine, no FIFA 12.

No campo

Daniel – Se tivesse que resumir PES 2014 em duas palavras, especialmente comparando com a versão 2013, seriam “elegância” e “espetáculo”. As melhoras nos controles precisos (usando os gatilhos do gamepad) são evidentes logo de cara: jogadores de classe como Pirlo parecem dançar com a bola.

O PES sempre focou no jogo por todo o campo e nas marcações, mas neste ano as aberturas dos laterais estão no auge. Durante nossos testes vimos muitas corridas pelos lados.

As cobranças de faltas e escanteios melhoraram graças a uma trajetória visual ajustável que usa os dois controles analógicos. Além de ajustar a direção da bola com o controle da direita, você ajusta a altura e efeito com o da esquerda. O novo sistema faz com que seja mais fácil executar as cobranças de falta e escanteios.

Alessandro – No entanto, alguns movimentos parecem um pouco forçados e não é sempre que você sente ter controle total dos jogadores.

É verdade que o PES 2014 ajuda a criar jogadas, fazer mudanças de jogo e as aberturas pela lateral são lindas de se ver, mas a jogabilidade é um pouco lenta e algumas vezes complicada, ainda que esteja melhor que a do Pro Evolution Soccer 2013.

Os árbitros não me convencem: parecem rígidos demais e expulsam os jogadores por qualquer motivo. E nunca aplicam a lei da vantagem – defeito que já vem do PES 2013.

Goleiros

Daniel – No passado, um dos grandes diferenciais entre o PES e o FIFA eram os goleiros. Este ano, a Konami trabalhou duro e melhorou muito. Os controles foram aprimorados e os goleiros são muito mais confiáveis em momentos decisivos.
Uma novidade interessante com relação ao FIFA 2014: os goleiros podem alterar a trajetória da bola com toques quase imperceptíveis e evitar o gol.

Alessandro – É verdade. Algumas intervenções são realmente espetaculares e me deixaram com o queixo caído.

Não posso dizer o mesmo a respeito das saídas dos goleiros. Durante o teste, vi como algumas bolas altas se perdiam. Se o goleiro sai da área manualmente, parece ir lento demais… E no futebol, a velocidade é essencial.

Tática e estratégia

Alessandro – O fator tático/estratégico sempre foi um dos pontos fortes do PES e está ainda melhor. São 11 jogadas padrão, mas você pode criar novas táticas usando o editor e combinando os padrões existentes.

Em “Estratégia”, é possível modificar elementos como a pressão ou a altura da linha defensiva, entre outros. A função “Strategy Integrator” é a cereja do bolo. Com ela você pode configurar táticas e movimentos específicos para cada jogador e para cada área do campo.

A galera mais avançada pode criar até três esquemas táticos diferentes para serem usados durante a partida. Cada um destes esquemas inclui táticas, estilos e estratégias de jogo diferentes.

Os jogadores com menos experiência podem confiar na inteligência artificial do PES 2014, que adaptará a estratégia de forma automática conforme as necessidades.

Daniel – O PES sempre foi melhor do que o FIFA em estratégias e menus, certo. Entretanto, este ano as coisas vão mudar, uma vez que as opções táticas disponíveis são poucas, especialmente se as comparamos com as do FIFA.

É verdade que há mais do que as 11 opções iniciais, uma vez que é possível alterar a posição dos jogadores manualmente. Mas para isso, é preciso ser um jogador com muita experiência.

Por outro lado, esta nova forma de controlar as táticas e estratégias do jogo é mais complicada. Do meu ponto de vista, os menus e as configurações são pouco “user-friendly” e perdem se comparadas com o FIFA.

Estas são as conclusões dos nossos especialistas sobre a versão preliminar do PES 2014.

E você, acha que o PES 2014 vai superar o FIFA 14 e vai ser o melhor jogo de futebol do ano?

Carregando comentários